Olá, Pessoal,

Espero que estejam bem!

Você já se perguntou o que fará por sua carreira neste ano?

Não sei você, mas eu, eu adoro pensar dirigindo e ouvindo uma música… em meio a um passeio, tive um insight sobre os pedais e a carreira…ah se carreira fosse tão fácil como conduzir um carro… sonho nosso…

Carreira é complexo… tem tempo, tem causa, tem consequência… tem dor, tem alegria, tem conquista, tem fracasso…

Mas vamos tentar simplificar o tema… e compará-lo com você dirigindo e pensar no que você fará pela sua carreira este ano…

Ao dirigir um carro, precisamos ter claro o trajeto e saber conduzi-lo… não adianta sentar, sem saber para onde ir e tampouco sem saber como usar os pedais…

Já pensou se você senta, liga o motor, começa a andar e não sabe para onde está indo? Além de nunca chegar a lugar algum específico, você corre o risco de perder tempo… sabe lá, se não vai anoitecer, você vai ver ter menos visibilidade e aí pode correr o risco de cair em lugares não adequados. Pegando esta parte e pensando como isso seria na carreira, penso que seria como você não saber o que quer da sua vida… aí se a empresa te promove, te move, te mantém onde está, tudo isso serve…aí o tempo vai passando e quando você, ficou mais velho, oportunidades passaram, você perdeu o timing e aí não dá para voltar no tempo… aí quando o tempo passa e as oportunidades também, você acaba por começar a aceitar coisas sem escolher e pode cair em cilada…

Aí vamos para a segunda parte, você sabe para onde quer ir…a estrada é a que você gostaria de estar, você sabe dirigir e olha para os pedais… você deverá colocar uma marcha e acelerar, até que determine sua velocidade desejada, conforme o limite da via,  seus limites de valores pessoais e  própria capacidade do seu posante… estar sozinho ou acompanhando também influencia suas decisões… dependendo o quanto de carga tenha no carrinho, isso também poderá interferir na performance… além disso, convém aprender a usar o freio… você poderá precisar… e diz as boas práticas que frenagens bruscas são apenas em caso de emergência, caso contrário deve-se reduzir a velocidade co segurança e frenar.

Pegando esta parte e comparando com a carreira, você está em uma empresa (estrada) e sabe onde quer chegar (plano de carreira), você deve olhar para dentro de si próprio (pedais) e ver que tom você dará na sua carreira este ano… você vai acelerar, manter velocidade constante, reduzir ou frenar?  Antes de tomar esta decisão, convido a refletir sobre os aspectos seguintes…

É bem importante conhecer o que sua empresa valoriza como modelo de gestão de carreira (limite da pista) para você ver se você se identifica com isso… há empresas que são mais arrojadas, há empresas que são mais conservadoras… há empresas que permitem os dois, mas tem consequências claras… você pode ser mais conservador, mas aí ficará para trás e não há retorno…

Também é bem importante, conhecer e reconhecer seus próprios limites… como você se sente acelerando? É isso que você quer? A adrenalina de acelerar é alucinante… e viciante… aquela coisa de você acelerar e dar certo, te incentiva a acelerar mais… e você se acostuma com isso e quer mais…vale a pena? Supondo que você esteja na Bandeirantes (minha preferida) a 120 km por hora…sua capacidade pensar rápido e tomar uma boa decisão com esta velocidade não é para qualquer um… e isso na empresa é igual, crescer rápido não é para qualquer um… você tem que estar muito seguro disso e ciente dos efeitos colaterais do vício da alta velocidade e da alta autoconfiança que isso te provoca…já vi muita gente se perder… arrogância, prepotência, coração duro, fé apenas em si próprio… já vi alguns (um tanto extintos) que mantiveram valores fortes e inabaláveis… e você como reagiria?

Provavelmente você que está lendo já foi adolescente… naquela época, quantas vezes escutamos que seríamos tolos se não fossemos ousados até superarmos os nossos limites?! O que você fez? Naquela época, ainda estávamos nos formando enquanto pessoas… a esta altura não é mais aceitável sermos influenciados negativamente por provocações externas que não nos sejam favoráveis… ou nos coloque em cilada. Mas aqui é sutil… e tem reflexão… quando alguém provocar você carinhosamente sobre superar-se, aprender e extrapolar seus limites atuais, entenda o que está por trás daquela provocação na intenção da pessoa e, mais que isso e, mais importante, entenda realmente o que lhe impede de ir mais além…

Aqui vem a parte de conhecer o seu posante e analisar o seu limite de carga para poder não interferir na sua performance… Você não acelera mais por quê? Não quer ou algo te prende? Tem um vídeo lindo do Turismo da Espanha que falava assim: ‘cuanto menos cosas ponga en tu maleta, más espacio queda para las vivencias…’ quando menos coisas tenhamos que carregar, mais espaço se tem para viver… quando menos passado, mais espaço para o presente… quanto por menos pessoas você tenha que se preocupar, menos medo talvez você terá de arrojar… Descubra-te-lo! Se for preciso, compartilhe ou devolva o peso a quem de direito… Fácil? Longe disso… Pedais são mais fáceis… tirar malas do porta-mala é mais fácil…

Fato é que se os parágrafos anteriores fizeram eco para você isto é um sinal… se você não teve nenhuma reação no seu corpicho e mente enquanto lia o parágrafo anterior, aí ok… você provavelmente está satisfeito com seu ritmo… mas se ao ler você teve vontade de parar de ler e começar a agir, hum… dentro deste coração bate um ritmo no mínimo de salsa… opa… 1, 2, 3 da un pasito para frente… 😀 e você gosta mesmo da vida com emoção…

A velocidade de sua vida é você quem determina… se você acelera, reduz ou frena, entenda o porquê está fazendo isso…e decida conscientemente… porque alguém um dia, pode te questionar sobre isso e você terá a convicção de saber o porquê tomou aquela decisão…

A decisão de reduzir, não é fácil mas às vezes a vida precisa… às vezes, quando você passa por uma questão pessoal delicada (perder um membro da família ou quase, ter um problema de saúde, divorciar-se… acho que esses são os mais comuns), isso provavelmente interfere na forma como você levará sua vida pessoal e imagina sua vida profissional… E se você por tudo isso ao mesmo tempo (olha que eu conheço um caso assim….),  talvez você vai ficar mais cauteloso e até parar por um tempo, mas não permita que o medo de impeça de ousar e de vencer…

Acho que era isso… e aí, decidiu? Vai acelerar, manter, frear e mudar de pista, desacelerar?

Não importa exatamente como foi até agora… sempre digo, conte o tempo para os seus resultados a partir do momento que tomou decisões… tomou decisão de verdade: eu quero isso…ok, conte o tempo… quem toma decisões e faz sua parte de verdade não há como dar ‘errado’…; salvo, na minha forma de crer, se Deus não quiser…  mas aí, quem tem fé, sabe que não deu errado… porque também tem aquela certeza que os planos d’Ele podem ser melhores que o meu…

Se você leu até aqui, sai da telinha, vai lá e arrasa! Sinta-se carinhosamente empoderado (a) com esta mensagem… e como diz uma querida empresa por aí, a força vem de dentro… abre a comporta e deixa jorrar! Que você tenha paz, uma convicção profunda e muito discernimento para usar o seu poder.

Abraço,

Debora.

»

  1. antoniobrito10 disse:

    Excelente texto, Debora!

    Com certeza, “A Força vem de dentro!!!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s